Lampiões a gás voltam a iluminar o Centro Histórico de SP

A iluminação de época, ainda existente da região do Pateo do Collegio, foi restaurada por meio de parceria entre prefeitura e Comgás

Os lampiões a gás ainda existentes na região do Pateo do Collegio, no Centro Histórico da capital paulista, foram restaurados e voltaram a funcionar.  

A reinauguração foi possível por meio de uma parceria entre a prefeitura de São Paulo e a Comgás. A reativação da iluminação de época ocorreu oficialmente na última quinta-feira (14), durante o evento “Lampiões, a luz da alma paulistana!”.

A história da iluminação pública via lampiões a gás teve seu início em 1873, quando a San Paulo Gas Company, agora conhecida como Comgás, assumiu a responsabilidade pela iluminação de locais emblemáticos da cidade, como a Catedral da Sé, usando gás produzido pela queima de carvão. 

Antes desse período, a partir de 1830, já existiam lampiões que funcionavam com a queima de azeite, incluindo óleo de baleia. Em 1873, São Paulo contava com aproximadamente 700 dessas estruturas pela cidade, que se multiplicaram e transformaram a iluminação pública.

O último lampião a gás em operação na cidade foi desligado em 8 de dezembro de 1936. Mas as luzes no estilo antigo do Pateo do Collegio resistiram, e na década de 70, passaram a ser alimentadas por gás de nafta. A partir do final dos anos 80, o gás natural começou a ser utilizado, e o acendimento ainda era feito de forma manual e intermitente.

Em 2001, o sistema foi convertido para a automação, e, em 2013, os postes foram finalmente desligados. No entanto, eles foram reativados em uma nova parceria com a prefeitura em 2018, com a instalação de um sistema de acendimento automático em 38 unidades.

No evento de reinauguração estiveram presentes convidados e autoridades dos setores público e privado. Entre eles, o presidente da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), Roberto Mateus Ordine, o diretor do Pateo do Collegio, padre Carlos Alberto Contieri, o Secretário Municipal de Justiça e Cidadania, Fabio Prieto, e o Subprefeito da Sé, Álvaro Camilo.

“Essa iniciativa representa mais uma contribuição enriquecedora que se junta aos esforços de revitalização do Centro Histórico de São Paulo”, diz Ordine. “Assim como o Natal Iluminado, ação da ACSP, os lampiões também vêm para trazer mais luz e esperança para o Centro Histórico de São Paulo”.

“Além disso, temos o programa #VemProCentro, que estimula o empreendedorismo na região, gerando emprego e renda, além de incentivar a ocupação dos espaços públicos pelos paulistas por meio de ações culturais, artísticas e gastronômicas”, lembrou Ordine.

Durante a solenidade, os Trovadores Urbanos entoaram canções como “Se todos fossem iguais a você”, de Tom Jobim e Vinícius de Moraes, “Lua Branca”, de Chiquinha Gonzaga, “Viola Quebrada”, de Heitor Villa-Lobos e Mário de Andrade, “Trem das Onze”, de Adoniran Barbosa, entre outras composições.

Poetas recitaram os versos de “Eu te amo, São Paulo” e “Oração à Cidade de São Paulo”, compostos por Paulo Bomfim, “São Paulo Antigo”, de autoria de Batista Cepelos, entre outras poesias. 

A celebração também foi palco da apresentação do Coral “Schola Cantorum”, que apresentou a canção “Sonho da Virgem”, criada pelo padre José de Anchieta.

IMAGEM: ACSP/Divulgação