Prefeitura de SP testa câmeras do Smart Sampa. ACSP acompanha o processo

Iniciativa prevê a instalação de 20 mil câmeras de segurança com tecnologia de biometria facial pelas ruas da capital e em equipamentos públicos

A prefeitura de São Paulo instalou na cidade até o momento cerca de 400 câmeras de reconhecimento facial do projeto Smart Sampa, que prevê 20 mil equipamentos do tipo. A previsão é que, até fevereiro, mais de 5 mil estejam funcionando e a Central de Monitoramento, que será instalada no Prédio do Palácio dos Correios, no Vale do Anhangabaú, esteja operando.

A Associação Comercial de São Paulo (ACSP) tem acompanhado de perto a instalação dos equipamentos. Testes e ajustes no sistema estão sendo feitos na plataforma de gerenciamento, que pretende gerar os alertas e disparar os módulos de segurança. Um efetivo da Guarda Municipal está sendo treinado segundo o Protocolo Operacional Padrão e será responsável por operar o videomonitoramento.

“O objetivo é garantir que a equipe esteja devidamente capacitada e preparada para operar o novo sistema de forma eficiente e que o sistema tenha toda retaguarda de segurança que o programa exige. Um ganho para a cidade e o comércio”, comenta Roberto Mateus Ordine, presidente da ACSP, que pessoalmente tem acompanhado a instalação das câmeras pelo centro da capital.

O programa Smart Sampa pretende instalar as 20 mil câmeras de segurança com tecnologia de biometria facial pelas ruas da capital e em equipamentos públicos municipais (de Saúde, Educação, Cultura, em parques municipais e nas subprefeituras).

O programa prevê a integração de diversos serviços públicos de segurança, como CET, SAMU, Defesa Civil, Guarda Civil Metropolitana, Polícias Civil e Militar e Corpo de Bombeiros por meio de uma única plataforma, permitindo o monitoramento de ocorrências em tempo real.

“Utilizando a base de dados dos agentes de segurança e Justiça, que está em fase final de ajustes, a iniciativa permitirá maior eficácia e agilidade no atendimento de ocorrências da Guarda Civil Metropolitana e demais órgãos de segurança da capital”, garante a Secretaria Municipal de Segurança Urbana.

Ao todo, o sistema poderá contar com até 40 mil câmeras, já que além das 20 mil unidades instaladas em equipamentos públicos previstas na contratação, o programa possibilitará a integração de outras 20 mil câmeras privadas, de cidadãos, empresas ou de concessionárias.

A ACSP vem defendendo a implementação do programa Smart Sampa como forma de garantir a segurança dos moradores, comerciantes, trabalhadores e dos turistas que frequentam o centro da cidade. Com a ampliação da segurança na região central, a ACSP prevê um retorno econômico para a cidade por meio do aumento do fluxo de pessoas, que resulta em maior consumo de diversos segmentos comerciais na região.

O Centro foi escolhido pela Prefeitura como prioridade para implementação do programa e servirá de modelo para o resto da cidade.

Crédito texto: Redação DC

IMAGEM: Thinkstock