Comerciantes do Centro de SP recebem R$ 200 milhões em crédito

Desenvolve SP apresenta linha de crédito durante evento para empresários. Recurso vai ajudar empreendedores interessados em requalificar a região central da cidade

Não é pouco dinheiro. Trata-se exatamente de um quarto de bilhão de reais. São R$ 500 milhões destinados aos comerciantes do Centro de São Paulo, pela linha de crédito da Desenvolve SP, agência de fomento do Governo do Estado, junto ao Banco do Povo Paulista. Batizado de Desenvolve Centro, o programa contempla oito bairros da capital paulista: Bela Vista, Bom Retiro, Cambuci, Consolação, Liberdade, República, Santa Cecília e Sé. “Os objetivos são ajudar os comerciantes nesse processo de requalificação da região central, atrair novos empreendimentos e promover a reurbanização e a reocupação do Centro”, disse Ricardo Brito, presidente da Desenvolve SP.

Do valor total do programa, R$ 170 milhões são oriundos da Desenvolve SP para micro, pequenos e médios empresários. A fonte dos outros R$ 30 milhões é o Banco do Povo Paulista, que oferece recursos para pessoas físicas e Microempreendedores Individuais (MEI’s). Segundo a agência, os pedidos para a linha de crédito, que foi lançada em janeiro deste ano, estão em processo de análise. “A Desenvolve SP é diferente de um banco comercial convencional. Somos uma agência de fomento do Governo do Estado. Não visamos o lucro”, afirmou Luísa Sato, gerente de Negócios do Setor Privado da agência. “Por isso, temos um processo mais rígido de verificação das empresas solicitantes”. O Banco do Povo, por sua vez, informou que já foram disponibilizados R$ 114 mil em microcrédito para seis empreendimentos, sendo dois no segmento de alimentos, um de serviços de entrega rápida, um de hospedagem, um de produção cinematográfica e outro de produção musical.

Para o presidente da Desenvolve SP, a linha de crédito voltada para o Centro de São Paulo, além de atender a demandas dos empreendedores que já estão na região e os que querem ir para lá, é uma forma de entender as necessidades de cada um e o que mais pode ser feito para ajudá-los. “Tomara que esses R$ 200 milhões acabem logo. Daí, teremos um bom problema para resolver, que será correr atrás de mais recursos para ajudar ainda mais gente”, afirmou.

Como solicitar o crédito – A verba do Desenvolve Centro pode ser utilizada para financiar projetos de construção, instalação, implantação, reforma/adequação, modernização, expansão da capacidade produtiva, redução de impactos ao meio ambiente, adequações à legislação ambiental e eficiência energética. Os comerciantes com alguma dessas necessidades que possuem faturamento anual entre R$ 81 mil e R$ 300 milhões no ano anterior à entrada do pedido podem solicitar o crédito pelo site da Desenvolve SP. O limite que pode ser adquirido é de R$ 5 milhões. “O cliente faz o pedido de financiamento e descreve o que precisa. Quando ele salva o pedido, a gente consegue visualizar para entrar em contato, tirar as dúvidas e solicitar as documentações e analisar”, disse Luísa Sato. Pessoas físicas e MEI’s também conseguem o empréstimo, mas com um limite de até R$ 21 mil e sem a exigência de valor mínimo de renda. A forma de cadastro é a mesma que a dos outros créditos fornecidos.

A linha Desenvolve Centro funciona de forma semelhante a um empréstimo de um banco convencional, mas com juros menores. Enquanto a média anual das taxas de agências bancárias fica em torno de 24%, na agência do Estado, os empresários são cobrados conforme a taxa Selic, que atualmente é de cerca de 10,5% – ou seja, menos da metade. Além disso, as parcelas podem ser de até 120 meses e com carência de até 36 meses. O crédito fornecido pelo Banco do Povo tem uma taxa de 0,35%, com prazo de até 36 meses e três meses de carência. De acordo com um estudo do Serasa, um empréstimo feito nas mesmas condições num banco convencional pode ter juros de 4%.

Segundo o presidente da Desenvolve SP, a ideia é revitalizar e reocupar a região central da cidade. “A oferta de crédito para atrair e apoiar empresários, muitos com o desejo de ampliar seus negócios, passa principalmente pelo Centro Histórico de São Paulo”, disse Ricardo Brito. “A oferta de crédito com taxas e prazos diferenciados é uma forma de mostrar ao investidor e a quem tem interesse de ir para o Centro que a região está passando por uma grande transformação”.

Texto crédito: Naira Zitei

IMAGEM: Secretaria de Desenvolvimento Econômico/Divulgação